Alma gémea
O amor é o alimento da vida

Nada resiste quando as almas gémeas se reencontram.

Relacionamentos duradouros, de décadas, com uma família estruturada, vida financeira estável, num segundo terminam porque uma terceira pessoa entra. Toda a estabilidade que existia, num segundo desaparece, todo o amor que o casal tinha não teve forças para este reencontro. A maior força que existe é o amor, porque é invencível e nada nem ninguém pode conseguir perturbar. Este amor é a última evolução, é onde Deus está e onde Deus é e não é possível ir contra isto. A força do Amor não é compreendida pela Humanidade, tal como todas as restantes leis cósmicas e, é por isso, que os Homens sofrem. A forma como duas pessoas criam uma relação são muito fracas comparativamente com a força do verdadeiro Amor que entra do nada na nossa vida, sem estarmos a contar e em que nada poderá ser feito. Não existe riqueza física, estabilidade financeira, família, filhos, costumes ou lei que possa separar o Amor de duas Almas Gémeas. Estas almas possuem uma forte atração de alma em que a atracão física alguma chega perto e que o pensamento lógico ou razão alguma pode compreender. Trata-se de Almas que ultrapassaram Eras juntas com a mesma missão e que parece que Deus as criou numa só. As relações amorosas entre as pessoas são hoje em dia fundadas em Nada. Relacionam-se porque acham-se bonitas, porque é conveniente, porque gostam das mesmas músicas ou até de irem aos mesmos lugares. Nada disso é da Alma, mas tudo é da matéria. Relacionamentos baseados na matéria acabam num sopro com relacionamentos de Alma de outras vidas. Quando vem, nada sobra. Se num segundo a tua Alma Gémea estiver á tua frente na caixa de Supermercado e estiveres num relacionamento estável, acabou, não tem mais o que fazer. Não há moral, lei, costumes ou dogma que possa separar estas duas almas, e é preciso compreender isto. O que importa é viver a sua consciência e que fez a sua parte enquanto durou a relação anterior. Foi fiel e leal, sincero, honesto e deu o seu melhor para a unidade do casal. Deve-se entender que cada um tem um limite de ação e que existe o livre arbítrio, que se trata de um amor muito antigo, não é apenas uma mera atracão passageira. Não é por acaso que se troca por uma pessoa que à vista humana parece tudo perfeito. A pessoa não pode deixar que sentimentos negativos influenciem na sua decisão, em que tem de compreender que este encontro de alma existe pela força do amor. Não é difícil de compreender que um casal que se conheceu apenas nesta vida não tenha força suficiente com um amor que tem milhares de vidas anteriores, pois ir contra isto não é o caminho certo. A vida é instável, tudo muda o tempo todo, e com os relacionamentos não é diferente. Viver uma relação sem amor ou sentir amor maior por outra pessoa que não estamos, é viver uma mentira. Devemos aceitar o Amor da nossa alma evolutiva a qualquer processo que nos encontramos e no tempo que esta alma se encontrou connosco.